Florença não é só a capital da arte, é arte em estado puro, uma tela viva. Com voos cada vez mais frequentes, as viagens baratas para este destino estão a levar mais turistas a esta cidade. Esta foi a cidade onde começámos a nossa Road Trip Italiana 🙂

A melhor forma de começar uma visita a Florença é apreciando a sua beleza desde o topo da Piazzale Michelangelo. Com uma vista central e total da cidade, a cidade parece uma pintura.

Depois de tiradas as devidas fotografias deste panorama, seguimos para a Piazza della Libertà. Aí, encontramos a Porta San Gallo, que nos convida a entrar para a zona histórica da cidade. Atenção! A partir daí a entrada de carros passa a ser restrita na zona histórica. Saibam onde estacionar o carro e quais as limitações das zonas históricas, no nosso roteiro de Itália.

O primeiro de muitos Palácios de Florença

Seguimos pela Via S. Gallo até ao Palazzo Pandolfini, desenhado por Raffaello. É o primeiro encontro com os imponentes palácios de Florença.

Seguindo, entramos na Via de Ginori que nos levará diretamente ao Centro Histórico. Mas antes dos monumentos mais conhecidos, encontramos ainda, o Palazzo Medici Riccardi. Este Palácio, como o nome indica, pertenceu primeiro à poderosa família Medici, e mais tarde à família Riccardi. É, alias, à família Medici que se deve a riqueza em arte de Florença. Percebemos isso em muitos dos locais visitados.

Entramos então na Piazza di Madonna degli Aldobrandini. Nesta praça vamos encontrar muitas referências aos Medici. A Cappelle Medicee e a Biblioteca Medicea Laurenziana têm maior destaque nesta praça. No entanto, a Sagrestia Vecchia (onde se encontram sepultados muitos Medici) é um monumento pequeno mas muito importante na arquitetura de Florença. É um dos monumentos mais relevantes da Arquitetura Renascentista Italiana. Foi desenhada por Filippo Brunelleschi e decorrada por Donatello, e paga, claro, pela família Medici.

No final da praça, encontramos ainda o Palazzo Martelli. Pertencente a mais uma das importantes famílias de Florença.

Viramos então à esquerda, na direção da Via de’Cerretani. O que vamos encontrar a seguir, é a razão que trás muitas das visitas a esta cidade!

A Piazza del Duomo

A Piazza del Duomo é indescritível. O Battistero di San Giovanni enquadra-se na perfeição com a Cattedrale di Santa Maria del Fiore. A catedral é a quinta maior da Europa, depois da Basilica de São Pedro (Roma), De São Paulo (Londres), da Catedral de Sevilha e da Catedral de Milão. Vale a pena admirar cada traço destes dois monumentos.

Depois de admirar esta praça fabulosa, seguimos pela Via Calimala até outro local famoso de Florença. A Ponte Vecchio. Das 9 pontes que atravessam o Rio Arno, esta é sem dúvida a mais famosa. Ladeada por lojas (na sua maioria ourivesarias), esta ponte tem ainda, no topo desta, o Corredor Vasariano. Este corredor servia o propósito de ligar o Palazzo Vecchio ao Palazzo Pitti, possibilitando que a família Médici se movesse livremente pelo centro da cidade. Visitar esta ponte ao final do dia, permite ver o reflexo espectacular do por do sol no rio.

Piazza della Signoria

Voltamos um pouco atrás para percorrer os arcos da Galleria degli Uffizi, em direção à Statua Dante Alighier. Um pouco mais à frente encontramos o Palazzo Vecchio, e no seu exterior, a Estátua de David. Estamos na Piazza della Signoria. Aí podemos ver a Fontana del Nettuno, a Statua equestre di Cosimo I de’ Medici, e muitas outras esculturas. Esta é a zona mais animada da cidade. É o local ideal para descansar e enquanto se assiste aos espetáculos de rua.

Depois, regressando no sentido da Piazza del Duomo, seguindo pela Via Calimala, paramos novamente, na Piazza della Repubblica. Comemos um gelado enquanto a criança dá uma voltinha no carrossel que se encontra no centro da praça.

Florença tem ainda os seus jardins, Giardino di boboli, o Palazzo Pitti e a Basilica di Santa Croce que merecem uma visita.

Será este um dos seus destinos europeus de 2019?

Beleza do Destino
Custo
Acessos Fáceis