O Arquipélago da Madeira é constituído pela Ilha da Madeira e pela Ilha de Porto Santo. Esta região autónoma portuguesa, está localizada a uma distância significativa do continente Europeu (1000 km) e da costa africana (500 km).

O principal porto do arquipélago, através do qual passam muitos navios comerciais e navios de cruzeiro da Europa, está localizado na capital Funchal. Apesar de distante do continente, a ilha da Madeira é um popular destino turístico e de férias para portugueses e residentes de países europeus. Para muitas pessoas no mundo, a Madeira está associada ao famoso vinho local, às extraordinárias celebrações de Ano Novo, cujo fogo de artificio impressiona pela dimensão, e pelo seu clima ameno, já que a temperatura ao longo do ano varia de 16°C a 25°C. Portanto, é possível ter umas férias fantásticas nesta Ilha em qualquer época do ano.

A topografia da Ilha da Madeira apresenta duas características: montanhas altas e desfiladeiro profundos. A ilha não tem muitas praias, devido à quantidade de escarpas que dificultam o acesso ao oceano. Mas tem muito mais do que praias para oferecer aos turistas. Pesca submarina, windsurf, mergulho, golfe e trilhos com paisagens deslumbrantes para caminhadas no meio da natureza. Pode ainda passear nos parques e jardins botânicos, com mais de 2.000 plantas raras oriundas de todo o mundo.

Uma Ilha e tanto para ver

O centro histórico da Madeira, a fortaleza de San Tiago, onde são exibidas obras de artistas locais, o Monte Tropical Garden Palace, o palácio João Gonçalves Zarco e muitos outros destinos culturais da ilha, disputam a atenção dos turistas. Este arquipélago é o destino de férias perfeito para quem deseja relaxar num ambiente envolvido por uma natureza deslumbrante e sem muito ênfase nas praias (que apesar de poucas, existem). O Funchal agrada aos visitantes, apresentando um grane leque de bons hotéis, além de muitas outras atrações.

Mas quem procurar visitar a Madeira para ter alguns momentos de tranquilidade em ambiente de praia, então é melhor escolher a outra ilha, a Ilha de Porto Santo. Não tendo muitos monumentos e paisagens naturais de tirar o fôlego, esta ilha tem uma grande extensão de praias, sendo um excelente destino para quem quiser ficar um dias a descansar ao sol e a dar uns mergulhos.

Quando visitar a Ilha da Madeira?

Se chegar à Madeira no início de setembro, poderá não apenas apreciar o clima ameno, mas também provar os vinhos locais. Esta altura do ano é chamada “estação do vinho”. Os vinhedos cobrem 1700 hectares da ilha, e a variedade de vinhos da Madeira é conhecida em todo o mundo. A colheita da uva começa no início de setembro, ao mesmo tempo da “Festa do Vinho da Madeira”.

Apesar da Ilha ser agradável em qualquer época do ano, o melhor momento para visitas é o período de março a outubro, quando há pouca chuva. Como possui uma paisagem muito peculiar (a tal combinação de montanhas altas e desfiladeiros profundos), tem também uma variedade de microclimas na ilha. Por exemplo, o noroeste da ilha, é frequentemente nublado e húmido. Perto do Funchal é muito mais seco, e na ilha do Porto Santo existe um clima semi-desértico.

De facto, é um dos climas mais amenos do mundo, já que a diferença entre as temperaturas de inverno e verão, bem como as diferenças de temperatura diurna e noturna, não excede os 7°C. Por exemplo, em janeiro a temperatura está entre os 13°C e os 20°C e em agosto entre os 18°C e os 26°C. É por isso que se pode visitar a Madeira em qualquer momento do ano e relaxar confortavelmente. Apenas a chuva pode ser irregular na ilha. No entanto, a maioria cai de novembro a fevereiro, sendo que de junho a agosto geralmente não chove.

Como visitar a Ilha da Madeira?

O Funchal é uma cidade que acompanha uma escarpa, pelo que apresenta locais planos (já perto da marginal) e ruas íngremes. Circular a pé pela marginal é fácil e recomendável. A paisagem é muito bonita e o ambiente das ruas que a acompanham é muito alegre. Para circular por toda a cidade existem várias opções (umas mais imperdíveis que outras). Existem taxis, autocarros hop-on hop-off, um teleférico que liga a marginal ao topo do Funchal, e os “omnipresentes” Tuk Tuk. Para visitar o resto da ilha, é aconselhável o aluguer de carro, ou a marcação de excursões.

Teleférico do Funchal, da baía ao Monte Palace

Na ilha da Madeira, cercada por montanhas e colinas, existem muitas plataformas de visualização que permitem tirar fotos inesquecíveis. Uma dessas plataformas permite ver o Funchal desde cima. O teleférico estende-se desde a marginal da cidade até ao Monte. O passeio dura cerca de 10 minutos, durante os quais se pode ver todos os pontos as cidade e apreciar a paisagem natural da ilha, a baía, vales e colinas.

O ponto final da viagem é no Monte, onde está localizado o jardim tropical do Monte Palace, uma das principais atrações do Funchal. Aqui, para além de uma enorme coleção de plantas raras de todo o mundo, os visitantes podem ainda ver os pavões que circulam livremente, as obras de arte espalhadas por todo o jardim, e nas águas cristalinas das suas fontes e lagos, os diferentes tipos de peixes que as habitam. O Jardim encontra-se aberto das 9h30 às 18h, e o bilhete custa 12,50 €, sendo grátis para crianças menores de 15 anos. Além do Monte Palace, há ainda para visitar a Igreja de Nossa Senhora do Monte, que estando situada no ponto mais alto do Funchal, oferece uma vista fantástica sobre a cidade e a baía.

Para descer, pode voltar a entrar no teleférico, ou pode escolher um meio de transporte curioso e incomum, os carros de cesto de vime. Os Carreiros do Monte empurram os turistas sentados nestes cestos, encosta abaixo, a alta velocidade entre as estreitas ruas e curvas apertadas. É uma descida que provavelmente permanecerá na memória por muito tempo. Mas atenção, esta descida é só até algumas ruas abaixo, e não o trajeto completo. São cerca de 2km durante 10 minutos. O restante trajeto poderá ser feito a pé, ou de taxi, existindo sempre taxis parados no local onde termina a viagem. A viagem custa 25€ por pessoa, de segunda a sábado das 9h às 18h (a última saída é às 17h45).

Teleférico do Funchal
Carreiros do Monte
Carros de cesto de vime

Jardin Botânico

O Jardim Botânico, no Funchal, está localizado no terreno da antiga propriedade privada da família Raids. Este jardim estende-se por uma área de 8 hectares, onde crescem cerca de 3.000 espécies de plantas, das quais 200 são endémicas, ou seja, são encontradas exclusivamente na Madeira. No jardim, podem ver-se samambaias, azáleas, catos, palmeiras, orquídeas, magnólias e outras flores de várias tonalidades.

Como o jardim está localizado numa colina, é possível ver daí as pitorescas encostas das montanhas e a costa do Oceano Atlântico. Além disso, pode ainda visitar aí, o parque de papagaios, que possui cerca de 300 espécies, incluindo espécies muito raras. No território do jardim, existe ainda o Museu de História Natural. A entrada custa 5.50€ para adultos, e o bilhete para crianças dos 6 aos 18 anos, custa 2€. Está aberto todos os dias das 9h às 18h.

O mercado dos Lavradores

Este Mercado é uma das atrações mais interessantes e coloridas do Funchal. Este mercado de 2 andares, situado na zona da cidade antiga, foi construído nos anos 30 e a sua área total é de quase 10 mil metros quadrados. A arquitetura do mercado é bastante pitoresca, portanto, não “se perca” só nas compras e tire também algumas fotos.

Aqui, vende-se tudo o que os agricultores locais produzem: uvas, bananas, mangas, maracujá, frutas exóticas e, claro, o famoso vinho local. Os pescadores oferecem peixe fresco, como é o caso do peixe espada, que é servido em muitos restaurantes locais. Além disso, é possível encontrar uma enorme variedade de lembranças feitas manualmente por artesãos locais. A cor reina no mercado devido à grande variedade de frutas em todas as bancas. O melhor dia para visitar o mercado é ao sábado, por ser o dia em que os agricultores trazem mais produtos. Ao domingo o mercado está fechado, por isso é melhor dedicar este dia a visitar outras atrações na Ilha da Madeira.

Mercado dos Lavradores
Mercado dos Lavradores
Mercado dos Lavradores

Catedral do Funchal

Esta Catedral Católica em estilo gótico, foi perfeitamente preservada até os nossos dias. Foi erigida em homenagem à Assunção da Virgem, e a sua construção foi concluída em 1514. Até aos dias de hoje, a catedral manteve os seus traços intactos. Não é apenas a arquitetura da igreja que impressiona, mas também a sua decoração interior.

Miradouro da Eira do Serrado

O Miradouro da Eira do Serrado não fica muito longe do Funchal. A uma altitude de 1053 metros, pode admirar a paisagem montanhosa e a vila do vale, o Curral das Freiras, e passear pelos bosques que descem até à vila. O acesso a este miradouro é fácil, existindo, desde o estacionamento até este local, um caminho de pedra construído para o efeito. Ao visitar o miradouro, leve roupas mais quentes. Dada a altitude, a temperatura aqui é bastante mais baixa que no Funchal.

Vista do Miradouro da Eira do Serrado
Vista do Miradouro da Eira do Serrado

Paul da Serra

A Ilha da Madeira tem muitas belezas naturais, uma das que não deve perder é o Paul da Serra. Situado a uma altitude de 1300-1500 metros no oeste da ilha, é coroado por um pico de montanha, o Pico Ruivo, com uma altura de 1860 metros. No planalto do Paul da Serra é possível ver as vistas incríveis da Ilha, especialmente impressionantes quando o céu está limpo, desde o planalto até ao oceano. Neste planalto, e seguindo a levada com o mesmo nome, é possível encontrar várias cascatas. Uma das mais impressionantes é a cascata do Risco, com 100 metros de altura.

Nesta região da ilha, a chuva e clima húmido são frequentes. É aqui que tem origem a maioria da água que abastece a ilha, para a irrigação dos campos, através dos canais de irrigação (também chamados de levadas). Se quiser subir ao topo do Pico Ruivo, pode chegar até lá de carro, passando por lugares pitorescos como a aldeia da Encumeada.

Paul da Serra
Paul da Serra

A Cascata “Véu da Noiva”

A verdadeira maravilha natural da Madeira está localizada perto da cidade de Porto Moniz. Esta cascata é considerada uma das mais altas não só na Ilha, mas também no mundo, sendo a sua altura de 212 metros. É uma cascata muito incomum, caindo do topo de um penhasco íngreme, desaparecendo num ponto do terreno, aparecendo novamente e caindo finalmente diretamente no oceano. A localização da cascata, não permite que os turistas se aproximem demasiado, no entanto, o Miradouro do Véu da Noiva, localizado entre o Seixal a São Vicente, permite visualizar a cascata em todo o seu esplendor.

Cascata do “Véu da Noiva”
Cascata do “Véu da Noiva”

Cascata do “Véu da Noiva”

Porto Moniz

Conhecida pelas suas piscinas naturais, esta cidade no norte da ilha, deslumbra também pelas vistas. Se seguirmos pela estrada mais antiga, que liga Porto Moniz ao concelho de São Vicente, passamos por várias quedas de água e paisagens naturais, que em certos locais, fazem lembrar o Hawaii.

Porto Moniz
Porto Moniz

Camacha

Na ilha da Madeira existem várias aldeias e vilas antigas, cujo aspeto pitoresco não mudou ao longo dos séculos. Uma delas é a Camacha, que se eleva a 700 metros acima do nível do mar. A vila é conhecida pelas suas cestas de vime, e pelas tradições folclóricas locais. Perto da vila, há lugares onde a natureza virgem da ilha foi preservada, portanto, uma caminhada nos arredores é aconselhável. Um fato interessante é que, pela primeira vez em Portugal, o futebol começou a ser jogado nesta localidade em 1875.

Cabo Girão

No sul da Ilha da Madeira, perto da bonita vila de Câmara de Lobos, encontramos a rocha natural mais alta da Europa, o Cabo Girão. A rocha externa é apenas a parte visível do Cabo Girão, já que várias centenas de metros ficam debaixo de água. No topo, há uma plataforma de observação, com o chão em vidro, de onde é possível ter uma vista, de tirar o fôlego, sobre o Oceano Atlântico e o Funchal.

plataforma de observação Cabo Girão
plataforma de observação Cabo Girão
plataforma de observação Cabo Girão

Vila de Santana

É nesta localidade da Ilha, que encontramos as casas típicas com teto coberto de colmo, mais conhecidas por “casinhas de Santana”. Aqui é possível visitar o Parque Temático da Madeira e a Reserva Natural da Rocha do Navio. Em 2011, este concelho tornou-se “Reserva da Biosfera” pela UNESCO. Nesta localidade encontram-se ainda os percursos pedestres da Vereda do Pico Ruivo, Levada do Rei e Levada do Caldeirão Verde.

Santana
Santana
Santana

Os eventos marcantes da Ilha da Madeira

Um dos maiores espetáculos de fogo de artifício do mundo, acontece na capital da Ilha da Madeira. Em junho, tem lugar o “Festival Internacional de Fogos de Artifício do Atlântico”, onde representantes de diferentes países da Europa competem pelo título dos fogos de artifício mais espetaculares. Em Dezembro, a Passagem de Ano é um dos maiores acontecimentos na Ilha. O espetáculo de Fogo de Artifício acontece na noite de 31 de janeiro, num cenário deslumbrante. A disposição da cidade do Funchal, lembra um anfiteatro, que nessa noite se transforma num enorme presépio iluminado com milhares de luzes que percorrem as ruas da cidade. As baterias de fogo de artifício são colocadas estrategicamente à volta da cidade, num espetáculo de luz e cor que dura 10 minutos e que está no top dos maiores espetáculos pirotécnicos do mundo.

É em janeiro, que acontece o Festival de Caminhadas na Ilha da Madeira, que permite passeios fantásticos pelas impressionante “levadas”. Em fevereiro, o Carnaval é Rei, sendo a par com as celebrações de Fim de Ano, uma das atrações que mais turistas leva à Ilha. Em meados de abril, pode assistir ao Festival das Flores, marcando o início da primavera e espalhando pela cidade do Funchal desenhos, esculturas e ruas cobertas de flores frescas.

Festividades
Festividades
Festividades

Culinária Madeirense

A Ilha da Madeira é um paraíso gastronómico para turistas. Os restaurantes locais oferecem marisco, atum e vários peixes cozinhados de maneiras diferentes, abundantemente temperados com especiarias locais. Uma das iguarias mais famosas, são as Espetadas à Madeirense, onde os ramos de louro servem de espeto, dando à carne um sabor e um aroma especial. Para acompanhar, sempre com os milhos fritos e o famoso vinho da Madeira. É ainda impossível visitar a Madeira e não comer (várias vezes) o bolo do caco, muitas vezes utilizado como prato de entrada nos restaurantes, e o Bolo de Mel da Madeira. Ah, e finalizem as refeições com um copo de Poncha 😉

Bolo do caco

Onde ficar?

Nós já visitámos a Ilha da Madeira várias vezes, e desta última vez escolhemos o Hotel Royal Orchid. O Hotel fica no Caniço de Baixo, a poucos quilómetros do Funchal. Tem excelentes condições por um preço mais acessível do que os hotéis situados na capital da ilha. Os quartos são grandes. O nosso tinha uma área considerável, com uma pequena cozinha, espaço de sala e quarto (ideal para quem viaja com crianças). E um pormenor fantástico, a varanda sobre o Atlântico e com vista para as Ilhas Desertas. Ver o nascer do sol no quarto deste Hotel, é uma experiência única.

O Hotel tem ainda piscinas e espaços para descontrair. O pequeno almoço é excelente e o serviço impecável!

Hotel Royal Orchid
O nascer do Sol, visto da varnada do quarto
Hotel Royal Orchid

Dicas e Conselhos

A Ilha da Madeira não é muito grande, no entanto existem vários locais que valem a pena visitar, e que acabam por estar a alguma distância uns dos outros, pelo que aconselhamos o aluguer de um carro.

Uma vez na ilha não deixem de provar a Poncha no melhor local de todos, no Café do Miradouro da Portela, a caminho de Santo António da Serra. Outra opção para beber poncha e apreciar as fantásticas paisagens, é na Taberna da Poncha, perto da Serra de Água. Mas não bebam sem comer XD . Existem vários vendedores de bolo do caco pelas ruas do Funchal. Não deixem de experimentar o bolo do caco com chouriço.

Serra de Água
Taberna da Poncha
Taberna da Poncha

Caso visitem a Ilha da Madeira na altura do fim de ano, e pretendam ter a experiência completa desta festividade, jantar e vista privilegiada do fogo de artifício, então aconselhamos o restaurante que pertence ao Madeira Story Centre. Junto à marginal do Funchal, para além de servir a refeição de fim de ano, o restaurante tem no seu topo, um terraço panorâmico que permite uma vista desafogada e privilegiada de todo o fogo de artifício. É possível ter uma visão 360º de todo o Funchal.

Beleza do Destino
Custo
Acessos Fáceis