Visitámos Paris em Outubro. Sempre desejei conhecer esta cidade, tal é a sua fama e romantismo. Os voos para a cidade luz são relativamente em conta, pelas low cost, e o hotel onde ficámos, para além de ser bastante central, também ficou dentro do nosso orçamento. Esta foi a primeira viagem que fizemos paga por nós. Todas as anteriores (mais de 8) tinham sido oferecidas em passatempos (conheça esta história e tente a sua sorte) 🙂

Paris é a capital de França e a maior cidade do país. Está localizada no rio Sena, no norte do país. A parte central (não urbana) da cidade não mudou muito de tamanho desde 1860, portanto, um passeio a pé pela cidade não levará muito tempo, em comparação com Londres ou Roma. Segundo dados de 2005, a Grande Paris, do ponto de vista económico, é a maior região urbana da Europa e ocupa o quinto lugar na lista das principais cidades do mundo.

É uma das cidades mais atraentes do mundo, para os turistas, e a cada ano a região de Paris é visitada por 45 milhões de turistas. Entre as suas atrações estão lugares mundialmente famosos, parques populares e até mesmo, pura e simplesmente, as suas ruas. Todos estes lugares, a sua beleza, juntamente com a rica história de cada metro quadrado, tornam as férias em Paris verdadeiramente inesquecíveis.

Quando visitar Paris

A cidade tem verões com temperatura média máxima de 25°C e mínima de 15°C. Faz frio no inverno, mas a temperatura raramente cai abaixo de zero, estando geralmente entre os 3°C e os 8°C. Na primavera e no outono, o clima é ameno durante o dia e fresco à noite. Além disso, a chuva pode aparecer em qualquer época do ano. Embora não seja uma cidade muito chuvosa, Paris é conhecida pelas suas chuvas repentinas.
O clima em outubro, quando visitámos, foi bastante agradável para passear a pé pela cidade.

Como deslocar-se pela cidade

Passeios em Paris são impensáveis sem subir e descer, caso contrário, é impossível ver todas as belezas da cidade. Se as caminhadas não são do agrado que quem planeia visitar a cidade, então podem sempre recorrer à enorme e bem organizada rede de transportes públicos, que inclui metro, autocarros, elétricos, transportes no rio e comboios suburbanos que passam pelo centro da cidade. Além disso, as ruas da cidade podem ser exploradas em autocarros Op-On Op-Off, motas alugadas ou bicicletas.

O que comer em Paris

Paris é o berço da culinária gourmet. Se visitar a cidade, não deixe de experimentar alguns pratos tradicionais franceses: a baguete, o frango frito, o “Salt Manner”, o foie gras, ou a sopa de cebola francesa. Para a sobremesa, não se esqueça de apreciar um suflê ou um macaron, um éclair, profiteroles, crème brûlée, um baba au rhum, crepe suzette, etc. Enfim a oferta é tanta que difícil será escolher, ou ficar só por uma sobremesa 🙂

A reputação culinária de Paris baseia-se nas diversas origens das pessoas que nela vivem. Desde o início do século XIX, e da ida de muitos migrantes para a cidade, que toda a diversidade gastronómica de várias regiões da França se concentrou nesta cidade.

Os vinhos franceses também têm muita fama, e não podem faltar para acompanhar a refeição.

O Louvre

O Louvre é o coração geográfico e histórico de Paris, concentrado na ilha de Cité (Ile de la Cité). Toda a vida da cidade está ligada a esta área. Entre os edifícios mais famosos da região estão o Museu do Louvre, os Jardins das Tulherias, os palácios de Saint-Chapelle e Conciergerie, o “Quilómetro Zero“, a Ponte Pont-Neuf, etc. Os nomes das ruas e praças do distrito do Louvre são ouvidos em todo o mundo. Orfevre, Place Vendome, Place de la Concorde, Rua Rivoli, etc.

Nenhum museu no mundo se compara em popularidade ao Museu do Louvre, que é visitado anualmente por cerca de 10 milhões de pessoas. Mais que tudo, os visitantes estão ansiosos para ver a misteriosa “Mona Lisa“, o lendário padrão de beleza antiga – Vénus de Milos e a figura de mármore da deusa da vitória Nika de Samotrácia. O museu está aberto diariamente, exceto às terças-feiras, das 9:00 às 18:00 e quartas e sextas-feiras até às 21:45. O preço do bilhete é de 15€. Pessoas com menos de 18 anos entram gratuitamente. De outubro a março, no primeiro domingo do mês, o acesso a coleções permanentes é gratuito para todos, bem como no dia 14 de julho, o dia da Bastilha.

O Distrito Pantheon

É um dos distritos mais antigos de Paris, localizado na margem esquerda do Sena. O distrito Pantheon é uma verdadeira meca turística, porque no seu território está o famoso Quartier Latin. No centro do distrito está a Universidade Sorbonne, a instituição educacional mais famosa da França. Hoje em dia, este distrito é uma das áreas mais pitorescas da cidade, com estúdios de arte, pequenas boutiques, grandes shoppings e restaurantes caros. Entre as atrações do distrito está o Panteão, que lhe deu o nome, a Boulevard San Michel, e os restos do antigo anfiteatro romano dos séculos I e III.

A Torre Eiffel

No coração político de Paris, onde se encontram vários ministérios e departamentos, bem como a Assembleia Nacional da França no Palais Bourbon, a principal atração é a Torre Eiffel. É o símbolo da cidade, no centro dos Champ de Mars. Muito perto está outra atração icónica da cidade, Les Invalides (L’Hotel National des Invalides), que abriga o túmulo de Napoleão, bem como o Museu do Exército , o Musée des Plans-relevos , o Musée de l’Ordre de la Libération e o Museu de História Moderna.

A Torre Eiffel é o marco arquitetónico mais reconhecível de Paris, conhecido internacionalmente como o símbolo de França. A torre de 300 metros é um local de verdadeira peregrinação para os turistas. Ao longo de toda a sua história, já foi visitada por mais de 250 milhões de pessoas, o que a torna na atração mais visitada do mundo.

A Torre é visitável de 14 de junho a 31 de agosto, das 9:00 à 00:45. O resto do ano é diariamente das 09:30 às 23:45. A entrada para o elevador (até ao 2º andar) custa para adultos 16.30€, crianças dos 12 aos 14 anos 8.10€, crianças com menos de 12 anos e pessoas com deficiência 4.10€. O elevador para o topo tem um custo de 25.50€ / 12.70€ / 6.40€ respetivamente. Os bilhetes para subir de escadas até ao 2º andar são de 10.20€ / 5.10€ / 2.50€ respetivamente.

Champs Elysees e o seu Arco do Triumfo

É a avenida mais famosa do mundo. Na margem direita do Sena, nos Campos Elísios (Avenue des Champs Elysees), com 2 km de comprimento e 70 metros de largura, encontra-se a residência do presidente francês. Aqui encontram-se também, muitos monumentos e estruturas históricas famosas. O Arco do Triunfo (Voie Triomphale) na Praça Charles de Gaulle, o Obelisco Luxor, os magníficos Jardins das Tulherias, o Monceau Park, a Igreja Madeleine, o Museu Jacquemart-Andre e um dos mais antigos museus de Paris, o Museu de Arte Asiática Cernuschi (Musee Cernuschi).

Podemos ver também grandes palácios como o Museu das Descobertas e Invenções, a Galeria Nacional de Arte e o Museu de Belas Artes. Os Champs Elysees estão sempre a fervilhar de vida e há entretenimento para todos os gostos, desde lojas e boutiques chiques, a teatros, cabarés, cafés e restaurantes.

O Arco do Triunfo, que podemos encontrar nesta avenida, é um verdadeiro símbolo de Paris e da história de França. Está localizado na praça Charles de Gaulle (também conhecida como Etoile ou Star Square) e é considerado o maior da Europa.

O arco tem uma plataforma de observação, e para subir até lá, ou enfrenta os 284 degraus ou sobe quase até ao topo de elevador, restando apenas 46 degraus. A entrada é gratuita para crianças e estudantes menores de 17 anos, e os adultos pagam 12€.

Opera de Paris

A magnífica Opéra Garnier (Opera Garnier), também conhecida como Palais Garnier (Palais Garnier), está localizada na margem direita do Sena. A Opera é um edifício magnífico no qual os amantes da arte podem apreciar espetáculos de ópera e balé. As dimensões do palácio são impressionantes. A área de construção é de 21 625 e a capacidade do salão é de 2.100 espetadores.
As bilheteiras do Palácio Garnier estão abertas diariamente das 10h às 16h30 e de meados de julho a setembro das 10h às 17h30. O custo dos bilhetes para apresentações na Grand Opera é diferente. Adisponibilidade de bilhetes tem que ser sempre verificada no site oficial. Além disso, é possível visitar diariamente a ópera das 10h às 17h. Os visitantes têm acesso ao auditório, hall de entrada, e biblioteca-museu.

Na famosa obra de Gaston Leroux, “O Fantasma da Ópera“, havia uma menção a um lago no subsolo deste edifício. De facto, existem tanques de água que foram construídos durante a construção do palácio, como forma de garantir que, em caso de incêndio, existisse uma reserva de água por perto.

Montmartre

Foi a partir daqui, com um pequeno assentamento romano na colina de Montmartre (Monte de Marte), que a história de Paris começou. Em Montmartre encontramos um dos símbolos reconhecíveis da capital francesa, o Sacre Coeur (Basilique du Sacre Coeur). Montmartre Hill é o ponto mais alto da cidade. É possível chegar até aí de teleférico desde a Suzanne-Valadon Square, ou, se for mais corajoso, a pé. Conforme se vai subindo, é possível admirar as pitorescas ruas íngremes, atravessadas por escadas e becos estreitos.

É em Montmartre que se encontram muitas atrações reconhecidas, como o Dali Museum, o Cabaret “Moulin Rouge”, e os Mercados de La Chapelle e Saint-Ouen. Foi em Montmartre que Van Gogh, Picasso e muitos outros artistas famosos viveram.

Sacré Coeur e Moulin Rouge

A Basílica de Sacré Coeur é visível de quase qualquer lugar em Paris, uma vez que está localizada no ponto mais alto da cidade, o topo de Montmartre. Traduzida do francês, “Basilique du Sacré-Cœur” quer dizer “a Basílica do Sagrado Coração”, sendo um templo consagrado em nome do Coração de Cristo. As portas da basílica estão abertas a todos os visitantes diariamente das 06:00 às 22:30. Depois das 23:00, tem lugar o culto eucarístico noturno.

Em Montmartre encontramos também o cabaré “Moulin Rouge“, que é considerado uma das atrações mais famosas de Paris. O espetáculo com trajes incomuns, bailarinas bonitas, e o famoso cancan francês, atrai milhares de turistas. O cabaré está aberto diariamente das 18:00 à 1:00. O preço dos bilhetes depende dos lugares no salão, da hora do espetáculo e também se inclui ou não jantar. Os mais caros custam entre 420€ e 430€, e os mais baratos entre os 77€ e 117€

Notre Dame

Notre Dame de Paris, a Catedral de Notre Dame, é mais um dos símbolos de Paris e uma obra-prima da arquitetura gótica em todo o mundo. Está envolta em segredos e lendas centenárias, sobreviveu à devastação e renasceu novamente. Agora, a catedral que se ergue numa das ilhas do Sena, localizada no coração da capital francesa, enfrenta mais um desafio, depois do incêndio recente que a consumiu.

As bilheteiras da catedral estão localizadas no nível mais baixo da torre. O custo de um bilhete de adulto para o topo da torre é de 25.50€, para o 2º andar de 16.30€, para visitantes dos 12 a 14 anos de 12.70€, e para crianças de 4 a 11 anos – 6.40€

Curiosidades sobre Paris

Em Paris, para além dos seus monumentos e pratos típicos, existem uns seres, também eles, muito famosos. Os ratos. Consta que existem 6 milhões a viver na cidade. Uma verdadeira praga. Há quem brinque e diga que passear por esta cidade e ver um rato é tão comum como em qualquer outra cidade ver um pombo. E é verdade.

Quando estávamos a passear pelos jardins do Louvre, ao entardecer, pareceu-me ver um amontoado de pombos. Mas não eram. Quando chegámos mais perto percebemos que eram ratos, muitos ratos, grandes ratos. Estes seres já fazem parte da história da cidade, de tal maneira, que uma atração turística curiosa (e macabra para quem não gostar destes bichinhos) é uma loja de ratoeiras e pesticidas, a Maison Aurouze, na Rue des Halles, tem toda a sua montra decorada com ratos.

Dicas de actividades

Se quiser evitar os ratos e ter um passeio descansado, aconselhamos vivamente a fazer um cruzeiro no Sena. Tem uma duração de 60 minutos, e passa bem perto da Torre Eiffel, da Notre Dame, e outros monumentos, passando também por baixo de pontes famosas, com muita história e curiosidades.

Conselhos para uma visita sem complicações

Não podíamos deixar de dar, também, um conselho ligado aos cuidados de saúde. Quando estávamos em Paris, tive um problema de saúde que me levou a parar num café, no meio do nosso passeio, e a chamar uma ambulância. Foi o caos. Não só pela minha preocupante condição de saúde, mas também pelos problemas de comunicação. O nosso francês era básico e praticamente nulo, e constatámos que quase ninguém sabia uma palavra de inglês. Foi bastante difícil para os donos do café perceberem que queríamos que chamassem uma ambulância.

Mas não ficou por aí. O diálogo com os paramédicos foi por gestos, e quando chegámos ao hospital (central de Paris) ninguém percebia o que eu dizia. Encontraram, por fim, uma estagiária de medicina, após uma hora de eu ter entrado nas urgências, que “arranhava” alguma coisa de inglês.

Eu estava no início de gravidez, e comecei a ter uma hemorragia. Este problema não aconteceu por causa da viagem. Na verdade, descobrimos depois, já tinha tido início na semana antes da mesma. Apesar de a minha médica me dizer que era perfeitamente seguro viajar no primeiro trimestre de gravidez, eu devia ter tomado algumas medidas, que aconselho todas as grávidas que desejem viajar (para um país que onde não falem a mesma língua) a tomar.

Levem escrito num papel, na língua local, que estão grávidas, e de quantas semanas. Levem também uma cópia da ultima ecografia que fizeram, e aprendam algumas frases básicas na língua local, como “Com perda de sangue”, “Com dores fortes”.

Seria de esperar que numa cidade tão visitada por turistas, muitos dos seus habitantes locais soubessem falar inglês, mas não é verdade. Por isso, devem sempre precaver-se 😉

Beleza do Destino
Custo
Acessos Fáceis