Porto é a segunda maior cidade de Portugal. Se Lisboa é a capital do país, o Porto é sem dúvida a capital do norte. Está localizado a 270 km a norte de Lisboa, na margem direita do rio Douro, a poucos quilómetros da sua confluência com o Oceano Atlântico.

Os romanos, quando chegaram a estas terras fundaram a cidade de Portus Cale, cuja primeira menção documental remonta ao século V. Mais tarde, o nome foi transformado em Portucale, que posteriormente deu o nome a todo o país. Além disso, o Porto é o centro da produção de vinho desde os tempos da antiga Lusitânia, em que a história do icónico vinho português, e um dos símbolos nacionais, o vinho do Porto, começaram.

Hoje, esta cidade é um grande centro industrial e um porto significativo na costa atlântica. O seu compacto centro histórico, no qual todas as atrações estão a uma curta distância, atrai milhares de turistas.

Como passear pelo Porto?

Devido à sua posição geográfica, praticamente na foz do rio Douro e nas altas elevações das suas margens íngremes, o Porto não pode prescindir de vários meios de transporte para os seus visitantes, como, por exemplo, elétricos, metro e teleférico. Existem também autocarros, taxis e Uber, sem faltarem os Tuk Tuk.

Além disso, para conveniência dos turistas, existem vários tipos de bilhetes que permitem economizar significativamente nas viagens pela cidade, bem como nas visitas a museus.

Quando visitar o Porto?

O clima no norte de Portugal é mais frio. É comum encontrar a cidade envolta em nevoeiro nos meses de Outubro a Março. As temperaturas, que por norma se mantêm amenas durante o verão, sem registar demasiados dias de picos acima dos 30º, mesmo em Agosto, descem significativamente durante estes meses. Não atingindo temperaturas abaixo dos 0º, é normal que durante o inverno não subam para além dos 14º e não desçam para além dos 6º.

De junho a meados de setembro, encontram-se as melhores temperaturas para passeios na cidade, sem ter a chuva como companhia desagradável. De outubro a maio a chuva surge com frequência.

Ponte D. Luis I

Várias pontes atravessam o rio Douro, mas a mais famosa é a Ponte D. Luis I. É possível atravessar esta ponte de Vila Nova de Gaia até ao Porto, desde o Jardim do Morro, na sua travessia pedonal superior.

Quando for atravessar a ponte, não se esqueça de levar consigo a máquina fotográfica. As vistas deste local são de tirar o fôlego. As fotografias aqui tiradas, irão, sem dúvida, ser lembranças fantásticas da viagem a esta fabulosa cidade. A ponte é uma das principais atrações do Porto.

Igrejas e Estações com história

Atravessando a Ponte D. Luis, de Vila Nova de Gaia para o Porto, encontramos uma vista privilegiada para a zona histórica da cidade. Do topo do Terreiro da Sé, junto à majestosa Sé do Porto, é possível ver um mar de telhados, uns junto aos outros, apenas separados por estreitas ruelas que conduzem às ruas principais da cidade.

Daí, descendo a Avenida D. Afonso Henriques, encontramos a bonita Estação de São Bento. Quando entramos na estação, vemos turistas de cabeça levantada e olhos postos no teto e nas paredes. É impossível não ficar deslumbrado com as pinturas nos 20.000 azulejos que as revestem, e onde está representada a evolução dos transportes e cenas da história e vida portuguesas. Mais à frente, e a enquadrar na perfeição com todos os edifícios históricos que a rodeiam, encontramos a Igreja de Santo António dos Congregados.

Tanto esta Igreja como, a Igreja do Carmo, a Capela das Almas de Santa Catarina, a Igreja de Santo Ildefonso, e a Igreja Paroquial de São Nicolau, têm as suas fachadas cobertas de azulejos azuis, decorados com ilustrações referentes a santos e a passagens da bíblia.

Rua de Santa Catarina

Santa Catarina, uma das principais ruas do Porto, agrada, não só aos entusiastas das compras que aí encontram uma abundância de lojas, mas também a todos os que gostam de conhecer o lado mais movimentado das cidades. Com 1,5km de extensão, aqui há de tudo, todo o tipo de lojas, para todos os gostos e bolsos. Depois de fazer compras, pode comer num dos muitos cafés, bares, restaurantes ou pastelarias (confeitarias) que aí se encontram. O café mais famoso da cidade, o café Majestic, está localizado nesta rua. Todos os que visitam este icónico café, ficam agradavelmente surpreendidos com a sua decoração interior e com a atmosfera única que nele prevalece desde 1921.

Avenida dos Aliados

É nesta Avenida que se encontra a Câmara Municipal do Porto, num edifício construído em 1920, onde se destaca a sua imponente torre de 70m. A toda a volta encontramos edifícios com o mesmo traço arquitetónico, o que confere um certo “ar parisiense” à avenida. Aqui encontram-se os hotéis mais conhecidos, bem como várias sedes de bancos. É também nesta avenida que se celebram as vitórias do clube de futebol mais importante da cidade, e um dos maiores do país, o Futebol Clube do Porto.

Igreja dos Clérigos

O maior destaque da Igreja dos Clérigos é a torre do sino, a Torre dos Clérigos, o símbolo do Porto. É considerada a torre de igreja mais alta de todo o país. Durante séculos, a torre serviu de farol para navios que atracavam no porto da cidade, e agora serve de guia para os turistas, porque esse magnífico edifício eleva-se 76m acima da cidade, e é visível de quase todos os lugares.

No topo, há uma plataforma visitável. A partir dela, é possível ter uma vista total da cidade. Para chegar ao deck de observação, os visitantes têm que superar os 225 degraus de uma escada em espiral construída entre paredes apertadas. As visitas estão disponíveis todos os dias das 9h às 19h, e o bilhete custa 5 euros (grátis para crianças menores de 10 anos).

Livraria Lello

A livraria é justamente considerada a mais incomum e famosa de Portugal. Além disso, está incluída na lista das dez melhores livrarias do mundo. A Livraria Lello abriu as portas para os seus primeiros clientes em 1906. Dizem que uma visita a este espaço inspirou a famosa escritora britânica J. Rowling a criar o lendário Harry Potter.

Janelas grandes, vitrais com uma beleza sem precedentes, prateleiras de vidro e uma escada em espiral com degraus vermelhos brilhantes e uma grade decorada com entalhes elaborados, tornam este local mágico. Sim, entrar nesta livraria é como entrar numa sala de Hogwarts. O espaço está aberto de segunda a domingo das 10h às 19h. O bilhete custa 5€, sendo este valor dedutível na compra de um livro.

Parque do Palácio de Cristal

É agradável caminhar pelos seus caminhos sinuosos durante a semana (quando está menos cheio de turistas), e descançar num dos vários bancos de jardim com vista para a cidade. Esta é uma paragem fantástica para quem viaja com crianças. Com uma variedade de parques infantis, é ainda possível ver pavões e galinhas a passear livremente pelo parque. A zona é bastante segura e com muito espaço relvado, para as crianças poderem correr e gastar energias.

O parque ocupa uma área de vários hectares e é dividido em zonas temáticas. Jardim dos Sentimentos, Jardim das Rosas e Jardim dos Cheiros. As vistas desta zona da cidade para o Rio Douro são também imperdíveis.

A Ribeira

Talvez a zona mais visitada (a par com a Rua de Santa Catarina) no Porto. A Ribeira tem um encanto único. As margens do Douro, nesta zona da cidade, são ricas em restaurantes e esplanadas, e têm uma das atrações mais famosas da cidade, as caves do Vinho do Porto. As marcas mais conhecidas do famoso vinho têm as suas caves abertas para visitas guiadas, degustações e compras.

Beber um cálice de Vinho do Porto enquanto se aprecia os bonitos barcos rabelos a subir e a descer o rio, tendo como fundo a colina cheia de casas coloridas, é uma experiência a não perder. É possível percorrer o rio nos inúmeros barcos disponíveis para cruzeiros no Douros, que aqui se encontram atracados, comer e beber bons vinhos no Mercado Beira-Rio no Cais de Gaia, ou subir até Vila Nova Gaia, com a mais bela das paisagens no Teleférico de Gaia.

Outra (um pouco mais estranha) atração da Ribeira, tem lugar na zona de travessia pedonal inferior da Ponte D. Luis. Aí, jovens adolescentes saltam da ponte para o rio a troco de moedas dadas pelos turistas. Enquanto não conseguem obter a quantia desejada, passeiam na estreita borda da ponte, ameaçando cair, e incentivando os turistas a contribuir com mais um euro. Os saltos, quando finalmente acontecem, são acrobaticos e espetaculares.

Foz do Douro

A Foz do Douro é uma das áreas de prestígio do Porto. É possível percorrer a Ribeira até à Foz, ou em alternativa, ir de metro até à cidade vizinha de Matosinhos, e percorrer os passadiços junto às praias até chegar ao jardim paisagístico do Passeio Alegre. O caminho é agradável pelas suas vistas panorâmicas, pela proximidade ao oceano e pelas bonitas praias.

Nesta zona o elétrico atravessa a estreita rua junto à estrada, enquanto as pequenas embarcações dos pescadores descansam junto à margem, conferindo uma imagem ainda mais pitoresca ao local. Quando o caminho encontra finalmente a vista para a Ribeira e a Ponte D. Luis, estamos perante uma verdadeira pintura. O pôr do sol na Foz, é também uma experiência imperdível.

Dicas e Conselhos

Existem inúmeros hoteis, hostels e casas para alugar, no coração da cidade e a preços convidativos. Deslocar-se pela cidade não é um problema. Durante a nossa visita, optamos por ficar em Vila Nova de Gaia, perto do Jardim do Morro, e atravessar a Ponte D. Luis todos os dias a pé para o Porto. Na maioria das vezes deslocávamos-nos a pé, utilizando o metro para percursos mais longos.

A gastronomia nesta cidade assume um papel de destaque. As famosas Tripas à Moda do Porto disputam o primeiro lugar das iguarias culinárias com a Francesinha. Este prato típico em forma de sandes, com linguiça, salsicha fresca, fiambre, carnes frias e bife de vaca, coberta com queijo derretido e um molho divinal, é muito procurado pelos turistas. As melhores Francesinhas podem ser apreciadas no Café Santiago da Praça. Outro local a não perder e bastante concorrido, não por causa das Francesinhas, mas por causa da sandes de pernil mais famosa do Porto, é a Casa Guedes.

Boa comida, excelente vinho, gente calorosa e uma beleza avassaladora, o Porto é uma cidade que deveria estar nos planos de qualquer turista.

Beleza do Destino
Custo
Acessos Fáceis