Verona foi a segunda paragem na nossa Road Trip Italiana. Ficando convenientemente entre Veneza e Milão (destino da nossa última paragem), a estadia também se revelou mais em conta nesta cidade. Fica a pouco mais de uma hora de carro de Veneza, e a duas horas de Milão, passando neste último trajeto pelo Lago di Garda e Sirmione.

Verona é uma cidade no nordeste de Itália, a segundo maior da região de Veneto, o centro administrativo da província de Verona. É uma bela cidade nas margens do rio Adige, com monumentos muito antigos. Em 2000, foi inscrita como Património Mundial da UNESCO. Hoje, a cidade é um importante centro comercial, industrial e histórico de Itália.

Milhões de turistas de todo o mundo visitam esta cidade todos os anos. Mas muitos deles são atraídos, não tanto pela abundância de monumentos históricos antigos, mas pela oportunidade de visitar a terra natal de Romeu e Julieta. É graças a esta história intemporal, que Verona é considerada a capital romântica de todos os amantes do mundo. 

Como chegar a Verona?

É muito conveniente chegar à cidade de carro. O acesso é pela autoestrada A4 Milano – Venezia (ou Serenissima), para quem se desloca desse sentido. Ou pela A14 – Autostrada Adriatica, para quem, como nós, parte de Bolonha. Para visitar o centro histórico da cidade, e evitar as mal-afamadas multas de entrada em zona proibida de carro, estacionámos no Parcheggio Multipiano Cittadella.

Quando visitar Verona?

O clima de Verona é bastante variável, devido à proximidade do Lago di Garda. Os vapores do lago no inverno provocam a alta humidade do ar, que, por sua vez, é a causa de frequentes nevoeiros noturnos. A temperatura média em julho é de 25 °C e em janeiro o termómetro raramente cai abaixo de 1 °C. A maioria das chuvas nesta área surgem entre o final de abril e o início de junho, bem como entre outubro e novembro.

A estação alta do turismo em Verona dura de maio a setembro. No nosso caso visitámos esta cidade no início de Outubro e encontrámos um clima bastante ameno.

Anfiteatro de Verona

Um dos principais monumentos arquitetónicos da cidade, data da época da Roma Antiga. O Anfiteatro, também chamado de Arena di Verona, data do trigésimo ano do século I dC. Tinha 44 filas de lugares em mármore e podia acomodar mais de 30.000 pessoas. Em termos de tamanho e significado, a Arena di Verona só poderia ser comparada ao Coliseu Romano

A Citta Antica e o centro medieval histórico

A Citta Antica é uma zona de edifícios antigos preservados desde a época do Império Romano. Há também um centro medieval histórico, no qual existem edifícios de épocas posteriores, por exemplo, do Renascimento. A cidade divide-se ainda pelo distrito estudantil de Veronetta, localizado em frente ao Castelo Castelvecchio, do outro lado do rio Adige, e o distrito de San Zeno, em torno da basílica com o mesmo nome. Entre os séculos 19 e 20, a zona industrial de Borgo Roma e a parte comercial de Verona, Borgo Trieste, surgiram a 1 km do centro histórico.

Piazza delle Erbe

Piazza delle Erbe, é a praça mais famosa de Verona, localizada no local de um fórum antigo. Ao redor da praça existem estruturas arquitetónicas famosas, como a Casa dos Comerciantes e o Palazzo Maffei.

Adjacente ao Palazzo Maffei está a Torre do Relógio – Torre del Gardello, construída em 1370 por ordem de Cancignorio della Scala. Ainda na Piazza delle Erbe, fica a Casa Case Mazzanti, notável pela sua fachada cheia de frescos. A Torre dei Lamberti, também chamada Torre do Sino, fica entre a Piazza delle Erbee a Piazza della Signoria, e domina o céu junto aos telhados dos palácios.

Igreja de Santa Maria Antica

A Igreja de Santa Maria Antica é uma igreja católica romana e um dos lugares mais visitados em Verona. O edifício original do templo, construído no século VII, foi destruído por um terramoto em 1117. Só em 1185, é que a igreja foi reconstruída. Durante o reinado da dinastia Della Scala, este templo serviu como capela da família dos governantes da cidade. 

Ponte Pietra

A Ponte Pietra (“ponte de pedra”) é uma ponte em arco de 120 metros sobre o rio Adige, datada de 89 aC. A ponte antiga de madeira, entrou em 1239 em colapso e, no seu lugar, em 1503, foi construída esta nova, feita de pedra. De um lado da ponte, existe ainda uma torre de vigia. Esta ponte, no entanto, como todas as outras pontes de Verona, foi gravemente danificada em 1945, quando foi explodida pelas tropas alemãs em retirada. 

Arcos Scaliger

Não muito longe da igreja de Santa Maria Antica, existem os arcos góticos Scaliger, ou os túmulos dos Scaligers. São túmulos de três representantes do clã della Scala que governaram em Verona nos séculos 13 a 14.

Casa de Julieta

O local mais visitado da cidade pelos turistas é a Casa Julieta. Aí chegam centenas de cartas de amantes e são muitos os turistas que, sob a varanda de Julieta, tiram repetidamente fotografias. Certamente, é o lugar mais famoso de Verona, que também está incluído nas principais atrações de Itália. É nesta casa, que, segundo a lenda, a jovem heroína de shakespeariana vivia. A casa foi construída no século XIII e, de facto, pertencia à família Dal Cappello, que foi utilizada como inspiração para a família Capulet na famosa obra literária. A fachada do edifício é decorada com um chapéu de mármore, inspirado no brasão da família Dal Cappello, já que chapéu se diz cappello em italiano. 

Aqui, é possível encontrar a famosa varanda onde segundo a lenda Julieta era visitada por Romeu. Existe também uma estátua de Julieta, onde se encontram filas de turistas para tirar fotografias, e duas longas paredes na entrada onde se podem escrever dedicatórias de amor.

Túmulo de Julieta

Outra atração famosa de Verona é o túmulo de Julieta, que é um sarcófago dos séculos XIII – XIV em mármore vermelho, instalado na cripta de um antigo mosteiro capuchinho – San Francesco al Corso. Foi neste local, que, segundo a lenda, os dois amantes morreram juntos. O sarcófago encontra-se, no entanto, vazio, e dado que o mosteiro ainda fica um pouco longe dos mais importantes locais a visitar, talvez deva considerar se realmente vale a pena.

Casa Romeo

A Casa Romeu é um edifício de tijolos góticos do século XIV, e que provavelmente não tem relação histórica com os personagens shakespearianos. Na realidade, o nome do proprietário medieval deste edifício é conhecido e documentado como Conde Cagnolo Nogarolo. No entanto goza também ela de fama e de muitas visitas de turistas.

Monumento a Dante Alighieri

Além da Piazza delle Erbe, em Verona, há outra praça que é frequentemente visitada por turistas – a Praça Signoria . A praça tem uma história antiga, emoldurada por vários edifícios interessantes em termos de arquitetura, mas os turistas são atraídos aqui pelo monumento a Dante Alighieri, instalado no centro da praça. Depois de expulso de Florença, Dante, a convite da família della Scala, chegou a Verona e viveu na cidade durante 13 anos. 

Porta Borsari

A Porta Borsari, é uma das atrações de Verona. São os restos da fachada de um edifício da era romana, usado para fins de fortificação, no portão principal da cidade. O portão era uma estrutura de pedra de dois arcos na entrada sul da cidade. Recebeu o nome da palavra italiana “borsari”, que significava um funcionário da alfândega que cobrava uma taxa aos comerciantes que entravam no portão. 

Castelo de Castelvecchio

O Castelo Castelvecchio foi construído em meados do século XIV, e ao longo dos séculos o castelo foi a residência de governantes, foi um arsenal e um quartel militar. No início do século XX, transformou-se num museu, onde hoje é possível ver pinturas e esculturas venezianas. É no Museu de Castelvecchio que o original do mais famoso Arco Scaligeriano se encontra.

Igreja de San Zeno Maggiore

 A Igreja de San Zeno Maggiore foi construída no século V. Inicialmente, a igreja era um pequeno santuário, no entanto, após sofrer numerosas destruições ao longo dos séculos, tornou-se uma magnífica basílica românica. O edifício foi decorado com uma fachada de mármore e com relevos baseados em cenas do Antigo e do Novo Testamentos. Tornou-se famosa por ser o local do casamento de Romeu e Julieta.

É possível visitar Verona num dia. No entanto, se desejar entrar em todos os museus, talvez seja aconselhável reservar dois dias para a sua visita.

Beleza do Destino
Custo
Acessos Fáceis