7 dias – 1644 km – 5 regiões – 18 cidades/localidades – 22h de deslocações

Uma viagem pelo mapa de Itália 🙂

As ruas e estradas de Itália são muitas vezes estreitas. Assim, é recomendável alugar um carro pequeno (no nosso caso foi um Fiat 500). Em todas as localidades existem ruas cuja entrada é proibida a carros. A solução é pagar um valor extra no aluguer do carro, e obter um dístico para poder circular nestas zonas.

ATENÇÃO que as multas pela entrada sem autorização nestas ruas são muito elevadas! Existem câmaras de vigilância que registam estas entradas (registam mesmo e as multas acabam por chegar a casa :/ ). Nesta viagem somámos mais 3 multas à multa da nossa road trip na Suiça.

TOSCANA

Passeio “obrigatório” em qualquer viagem a Itália. As estradas na região da Toscana estão em boas condições. Não podendo fazer a visita às Cinque Terre de barco, aconselho a visitar de carro. No entanto é preciso ter em atenção que a estrada desde La Spezia até às Cinque Terre é bastante sinuosa. A vista do percurso de carro é absolutamente deslumbrante! Mas se enjoa, não deixe de tomar um comprimido para o enjoo antes de fazer este trajeto.

Nas Cinque Terre

É impossível (a menos que fique hospedado num dos hotéis numa destas localidades) entrar de carro nas Cinque Terre. Existem parques de estacionamento pagos, poucos quilómetros antes de chegar às localidades, onde pode deixar o carro. Mas estes parques não são muito grandes e tendem a encher rapidamente. É totalmente desaconselhável deixar o carro estacionado na berma da estrada. A policia está sempre no local, e claro, sempre a multar. Algo que se verifica em muitas localidades/cidades de Itália.

Visitar Manarola

Mas, caso o parque de estacionamento esteja cheio não desistam. Parem em segunda fila e aguardem para ver se algum turista regressa para tirar o carro e ir embora. Como existe sempre um grande fluxo de turistas a entrar e a sair e isso acabou por acontecer connosco.

Até Siena

Na deslocação de Florença para Siena é possível ver a verdadeira paisagem toscana. Mas só seguindo pela Strada regionale 222 Chiantigiana (em muito bom estado). Talvez seja a estrada mais bonita de Itália 🙂

EMILIA-ROMANA

Entre Florença e Verona, é apenas de registar dificuldades numa parte do troço. As estradas entre Bolonha e Mântua (não seguindo por autoestrada) não estão em muito boas condições. Assim, será necessário ter em conta algum tempo extra de viagem para circular a menor velocidade.

VENETO

Fazer uma viagem a Itália e não ir a Veneza é uma falha grave 🙂 Entre Verona e Veneza, é aconselhável, para poupar tempo na viagem, seguir sempre por autoestrada. Assim, fica com mais tempo para explorar os seus belos canais. Ao chegar a Veneza, aconselho a deixar o carro no Venezia Tronchetto Parking. Aí é possível compra aí os bilhetes e apanhar, logo em frente, o transporte público desta cidade, o Ferry 🙂 As deslocações de Ferry em Veneza funcionam como o metro em qualquer outra cidade. Assim, por um bilhete mais em conta, permite ver toda a cidade com as paragens que entender, nos locais que desejar.

LOMBARDIA

Entre Verona e Milão, as estradas nacionais estão em boas condições. Fazendo o desvio para visitar o Lago di Garda, ao longo de todo o lago os trajectos são muito bons. Apenas no meio de muitas localidades, devido às estradas estreitas, a velocidade é muitas vezes bastante reduzida. O mesmo se verifica ao longo do Lago di Como.

Boa viagem a Itália 😉 Podem fazer o download do nosso itinerário aqui

Florença > Lucca > Pisa > La Spezia > Cinque Terre >Florença

Florença > Greve in Chianti > Panzano in Shianti > Castellina in Chianti > Siena > San Guimignano > Florença

Florença > Bolonha > Maranello > Mântua > Verona

Verona > Veneza

Verona > Riva del Garda > Sirmione > Milão

Milão > Bellagio > Como > Milão